sábado, 31 de dezembro de 2011

UM FELIZ 2012 E MUITAS REALIZAÇÕES

PASSADO PARA DESEJAR A TODOS UM 2012 REPLETO DE SAÚDE, PAZ, AMOR E MUITAS OUTRAS REALIZAÇÕES.
ESSE ANO VAI SE INICIAR COM MUITAS MUDANÇAS PRA MIM, NÃO SÓ DE PESO, MAS DE MODO DE VIDA E ESTOU MUITO FELIZ POR ISSO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

domingo, 25 de dezembro de 2011

CEIA DE NATAL

É pra quem era a boa de garfo, essa foi uma ceia de natal bem diferente, não só pela quantidade de comida, mas pela qualidade também....  
São 4 meses de cirurgia e fiz o teste e fogo ontem na ceia, no prato foi arroz a grega, vatapá, peru, salada verde e um pouquinho de farofa e de sobremesa uma torta diet de chocolate.
Tomei champanhe sem sentir nada e durante a noite fiquei no vinho seco mesmo. Sem efeitos colaterais com como diarreia ou dores no intestino ou estômago.....

Cada dia é uma nova etapa nessa readaptação, algumas coisas tomei verdadeiro abuso ao comer, por exemplo, pizza e comidas que tenham um pouco mais de gordura....

DIFERENÇA NO NATAL

 As fotos são um comparativo de antes e depois da gastroplastia. Meu marido faz 2 anos em 19 de janeiro de 2012 - ele fez em função do diabetes, foram 24kg eliminados. Minha irmã tem 1 ano e 4 meses, 39kg eliminados e eu que tenho 4 meses e 28kg Off..

O natal foi menos calórico e mais barato esse ano.....rs. Mas valeu a pena.


sábado, 24 de dezembro de 2011

28 KG OFF E UM NATAL NO MANEQUIM 40

ESTOU MEGA FELIZ, ESSE REALMENTE TEM SIDO UM FIM DE ANO ESPECIAL, FELIZ NO AMOR, FELIZ NO TRABALHO, FELIZ COMIGO MESMA..



A VIDA É CHEIA DE PRÓS E CONTRAS, MAS AGORA ESTOU PREFERINDO CONTAR SÓ OS PRÓS....  E ESTA SOU EU EM NOVA FASE, SAINDO DOS QUASE 100KG PARA OS 68 KG

Feliz Natal

Hoje é o dia de celebrarmos Cristo e desejo a todos um Feliz Natal com muita saúde e paz.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A PERDA DE PESO FICANDO LENTA

Para quem está no processo de emagrecimento a paciência é uma virtude, aliás, paciência é uma virtude pra tudo, mas eu nasci um pouco impaciente mesmo. Todos os dias até completar os 3 meses me pesava todo dia, toda hora, mas como vi que a perda diminui consideravelmente depois daí, passei a pesar a cada dois dias, mas gente tá ficando muito  lento mesmo, quase parando....

A nutricionista diz que é normal e que não tenho que colocar chifres na cabeça de cavalo, porque o peso que tenho a perder é pouco em relação ao tempo que falta para completar 1 ano de operada... Faltam 11kg (9 que  a nutricionista quer e 2 pra eu ficar satisfeita)
Nesses 5 dias depois que completei os 4 meses só perdi uns 300g . Mas mesmo assim fico feliz... Sei que era bem pior antes, afinal não perdia nada.

Estou me desvencilhando também de ficar contando tudo quanto é caloria porque isso está me deixando bem maluquinha, um dia como a mais, outro como a menos. Estou passando a me preocupar apenas com a qualidade e a quantidade que a nutri sugere na dieta.

Vamos ver se dá certo.

CIRURGIA BARIÁTRICA PARA O CONTROLE DE DOENÇAS

A cirurgia bariátrica ajuda a controlar pelo menos 30 doenças relacionadas à obesidade. Os pacientes submetidos ao procedimento reduzem em 35% o risco de morte prematura e aumentam em 89% a expectativa de vida.

Esse é um estudo recente publicado NET SAÚDE.

Veja a matéria no link abaixo:
http://www.isaude.net/pt-BR/noticia/23744/geral/cirurgia-bariatrica-ajuda-a-controlar-30-doencas-relacionadas-a-obesidade

NÃO ESQUEÇA DO MANTRA: A cirurgia não é milagre.

domingo, 18 de dezembro de 2011

ADERÊNCIA APÓS CIRURGIA BARIÁTRICA

Nas minhas buscas sobre a gastroplastia passei a fazer parte de uma comunidade no facebook ( http://www.facebook.com/groups/2443847642/?notif_t=group_activity)  como forma de trocar experiências e hoje vi um post que achei importantíssimo tratando de aderência, uma complicação muito comum em gastroplastizados.

A aderência intestinal pode acontecer até mesmo muitos anos após a cirurgia, e segundo pesquisei é como se o intestino simplesmente colasse, mas acontecesse também no estômago.

Vejam o depoimento postado no face feito por Thaís Camargo:
Alerta: operei ha 1 ano e 7 meses. Qdo eu tinha exatamente 4 meses de operada, senti uma dor aguda do lado esquerdo, muito forte. Na ocasiao, liguei para meu cirurgiao e ele disse pra eu tomar buscopan e luftal e esperar passar. Pois bem, eu tive essas crises agudas de dor por mais umas 20 vezes no ultimo ano. Toda vez, eu perguntava se nao podia ser aderencia (porque eu sei que eh uma das possiveis complicacoes da cirurgia) e meu medico sempre me disse que era "bobagem" minha. Que quem opera por video nao tem aderencia. As crises comecaram a ficar cada vez mais frequente e eu cada vez mais debilitada.
Pois bem.. segunda feira dessa semana fui trazida para o Albert Einstein de ambulancia. Tomei buscopan, toragesic, novalgina, tramal E morfina e nada passou minha dor. Fui internada as pressas e tive que fazer uma videolaparoscopia de emergencia. Eu tinha tantas aderencias no abdomem que elas estavam estrangulando minhas alcas intestinais. Se eu nao tivesse vindo pro hospital, provavelmente teria tido uma perfuracao intestinal e teria morrido de infeccao generalizada.
Um ano perguntando para o medico e um ano o maldito me ignorando, dizendo que eu tava procurando pelo em ovo. O ultimo email que eu mandei pra ele, ele respondeu mandando eu procurar um namorado e fazer exercicio fisico (!!!!). Isso mesmo.
Portanto, vai aqui meu alerta: Se voces sentirem QUALQUER dor, corram atras daquilo que a intuicao de voces esta dizendo. Nao acreditem apenas em 1 medico. Eu podia ter morrido.
Ainda estou internada.. gracas a deus a cirurgia deu certo... mas terei que pagar particular, terei problemas no trabalho, fora o risco que eu passei, sendo que ele podia ter resolvido tudo se tivesse me examinado direito e feito uma cirurgia eletiva quando as dores apareceram.



E vejam também o caso do filho dos bispos da igreja Renascer



Operação perigo

Oito anos depois de uma cirurgia bariátrica, filho dos
bispos da Renascer está internado em estado grave

Lailson Santos
VOLTA APRESSADA
Pastor Tid: o estado de saúde antecipou o retorno ao Brasil de Estevam e Sonia

Procedimento médico relativamente novo, a cirurgia bariátrica, que reduz as dimensões do estômago de maneira radical e leva o paciente a comer muitíssimo menos, começou como último recurso de obesos em situação de alto risco e se transformou em intervenção mais corriqueira. No mundo dos famosos, seu mais recente adepto foi o apresentador Fausto Silva, 59 anos, que no domingo passado informou ao público ter passado por uma operação de "interposição ileal", versão da redução de estômago que tem por objetivo principal controlar o diabetes. Mas por características específicas do procedimento, e por mexer num mecanismo complexo como o da fome e da saciedade, a cirurgia bariátrica continua a ser uma operação perigosa. Seu índice de letalidade é de 2%, igual ao das cirurgias para colocação de ponte de safena. As complicações pós-operatórias batem em 10%. As mais comuns são rupturas e infecções provocadas pelo exagero no consumo de alimentos. Outras ainda podem aparecer muitos anos depois de feita a cirurgia, como no caso de Felippe Daniel Hernandes, 30 anos, internado há um mês no Hospital Oswaldo Cruz, de São Paulo. Por causa da gravidade de seu estado, os pais dele, Sonia e Estevam Hernandes, líderes da Igreja Renascer, conseguiram autorização dos Estados Unidos, onde cumpriam pena, para antecipar a volta ao Brasil em quinze dias.
Há oito anos, pesando 150 quilos, Felippe, conhecido como o pastor Tid da Renascer, que já havia recebido um duplo transplante de rins, fez a cirurgia bariátrica. Emagreceu mais de 40 quilos. Voltou a engordar um pouco, mas passava bem até que, meses atrás, começou a ter fortes dores abdominais. Detectou-se uma aderência intestinal, bastante comum em pessoas que reduziram o estômago. Em 9 de julho último, foi operado para remover o pedaço de intestino obstruído. Horas depois, uma das suturas se rompeu, causando hemorragia interna e uma infecção forte o bastante para provocar edema cerebral. Para preservar o cérebro de maiores danos, encontra-se em coma induzido desde o dia 31. Seu estado é considerado muito grave. "Esse tipo de obstrução independe do paciente. Ele pode seguir a dieta direitinho e muitos anos depois da operação desenvolver a aderência", diz Sidney Klajner, cirurgião do aparelho digestivo do Hospital Albert Einstein.
Além das aderências, facilitadas pela intensa movimentação dos órgãos envolvidos nesse tipo de operação, a cirurgia bariátrica pode produzir mais úlceras (o ácido estomacal passa a cair diretamente no intestino) e hérnias (um estrangulamento por excesso de alimentos, por exemplo). Mesmo assim, para obesos mórbidos que desenvolvem diabetes, hipertensão, dificuldades respiratórias e outras complicações, a redução de estômago é resposta rápida, certeira e cada vez mais recomendada. Gordo, mas não obeso, Faustão encontrou no diabetes a motivação para entrar na faca. Fez a cirurgia desenvolvida pelo médico goiano Áureo Ludovico de Paula: a parte final do intestino delgado, o íleo, em que se produzem hormônios que facilitam a secreção de insulina, é reposicionada próximo ao estômago, que por sua vez é reduzido para diminuir a produção de grelina, o hormônio do apetite. "Quando o paciente é obeso, retiram-se de 30% a 40% do estômago", diz De Paula. "A diminuição de peso vem a reboque do controle da doença metabólica."

4 MESES DE GASTROPLASTIA

Hoje chego aos 4 meses de operada  e muitas foram as mudanças até aqui além dos 27 kg perdidos. Peso Inicial: 96 KG e peso atual: 69 Kg
1--  sem dores nas costas;
2- Menstruação regular;
3- Sem dores no estômago e sem esofagite;
4- Manequim 40 com lycra ao invés de 46 com lycra;
5- Auto-estima mega elevada;
6- Líbido restituído;
7- Humor perfeito;
8- Taxas de açúcar saindo do 115 para 86 em jejum;
9- Sem dores nos pés (tendinite);
10_ Intestino funcionando regularmente:
11- Ânimo para realizar minhas atividades diárias;
12- Alimentação saudável;
13- Colesterol e triglicerídios perfeitos;
14- Reestabelecimento do fígado..
Bom, lógico que existem alguns contratempos relacionados a cirurgia, como por exemplo, o acúmulo de gases com facilidade, diarreia sempre que consumo algo um pouco mais gorduroso, alguns entalos e de vez em quando a fraqueza matinal.
Mas pesando prós e contras ainda não tem nada que me faça arrepender da cirurgia.

FELICIDADE É UMA CONQUISTA DE CADA DIA

Hoje é um dia muito especial, são 13 anos de relacionamento entre namoro e casamento e a cada dia descubro que é muito bom poder contar com alguém que confia, respeita e apoia. Não existe fórmula para a felicidade, não existe qualquer contrato de casamento que garanta essa felicidade.

Na verdade, a felicidade é uma conquista de cada dia e esse post é para dizer que a cada dia desses 13 anos tenho sido feliz.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

RECEITAS SUGERIDAS PELA NUTRICIONISTA

Algumas receitas sugeridas pela nutricionista para o jantar.

SOPA DE LENTILHAS COM LEGUMES
Lentilha + vagem + abobrinha + batatas + vegetais tipo A (de sua preferência) + óleo (em pequenas quantidades) + sal à gosto + cheiro verde.
Cozinhar a lentilha na pressão, depois de cozida, acrescentar os demais ingredientes e tempere a gosto.

SOPA DE ERVILHA COM LEGUMES
Ervilha + cenoura +abobrinha + batatas + vegetais tipo A(de sua preferência) + azeite de oliva (em pequena quantidade) + sal à gosto + cheiro verde.
Cozinhe a ervilha seca na pressão, depois de cozida acrescentar os demais ingredientes e tempere a gosto.

CALDO VERDE
Azeite de oliva (em pequena quantidade) + cebola + dentes de alho amassado +batata + couve folha +sal à gosto.
Refogue o alho no azeite, junte a cebola, a batata e tempere com sal, quando as batatas estiverem cozidas passe pelo espremedor como se fosse fazer um purê, depois acrescente a couve escaldada em água fervente, quando levantar fervura está pronta.

SOPA CREME DE ABÓBORA
Abóbora + cheiro verde + leite desnatado líquido + leite desnatado em pó + farinha de trigo (para engrossar um pouco) + sal à gosto.
Misture todos os ingredientes com exceção do leite, cozinhe, depois acrescente o leite e tempere a gosto.


Alguns molhos que podem ser utilizados em saladas cruas ou cozidas:

MOLHO DE QUEIJO
Leite desnatado + queijo ricota ou cottage + suco de limão + 1 pitada de mostarda.
Bata tudo no liquidificador até obter uma mistura homogênea.

MOLHO DE IOGURTE
Iogurte desnatado + suco de limão + 1pitada de sal light + cheiro verde.
Bater tudo no liquidificador até obter uma mistura homogênea.

MOLHO AZEDINHO
Iogurte desnatado + suco de limão + queijo ricota + 1 pitada de sal light +  cheiro verde.
Bater tudo no liquidificador até obter uma mistura homogênea.

MOLHO DE MAIONESE COM ALHO
Maionese light + suco de limão + azeite de oliva + 1 pitada de sal + cheiro verde + hortelã fresca + 1 dente de alho.
Cozinhe o alho e o azeite até amaciar, esmague o alho até formar uma pasta , misture o hortelã, o cheiro verde, a maionese, a pasta de alho e o suco de limão, bata com um batedor de arame, até formar uma pasta de alho

NOVA DIETA PARA O 4º MÊS DE GASTROPLASTIA

Hoje foi dia de mais uma visita com a nutricionista, então digamos que foi o presente de natal já que houve algumas liberações....

Para começar ela "liberou" o consumo de açúcar, mas da seguinte forma: um pedacinho de chocolate ou de pudim, ou 2 colheres de mousse, sorvete ou qualquer outra sobremesa após o almoço ou após o jantar. No máximo duas vezes por semana. Não consumir nada muito adocicado em jejum para evitar dumpping.

Eu falei a ela que adorooooooo peixe frito ou frutos do mar e aí a liberação foi no máximo 1 vez na semana e com muito cuidado para evitar diarreia..

Refrigerante com moderação e bebidas alcoólicas também...

Ela frisou bem a alimentação de 3 em 3 horas, não abusar de açúcares e a importância dos exercícios (aliás este último item ainda não consegui seguir direito)..
No mais a dieta é o que se chama de livre. Aí é o que encaro como a parte mais difícil até o momento porque na dieta dos 30 primeiros dias eu sabia que não podia comer, que tinha o risco de fístulas, atrapalhava a cicatrização, podia até morrer, mas agora é bem diferente porque na verdade depende exclusivamente de mim.

A bariátrica faz a parte dela no sentido de que vou ingerir uma menor quantidade de alimentos por vez, teve uma diminuição da fome em geral e um aumento do tempo em que fico saciada, porém a qualidade do como é por minha conta. .

Agora mais do que nunca é uma briga comigo mesma, com a minha cabeça de gorda...

COMPRAS DE NATAL DEPOIS DA GASTROPLASTIA

Ai gente, minha vida tá um pouco corrida mesmo esse fim de ano, pois é encerramento de ano letivo, alunos de recuperação, avaliação para corrigir e por aí vai, além de ainda acompanhar a reforma da minha casa. Mas se teve uma coisa que ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii de todo coração foi a compra de natal.
Nossa! havia pelo menos uns três anos em que não me animava para comprar nada, mas agora tem sido muito legal.
Agora estou com 69 KG, são 27 off  E que não fazem qualquer falta, fui fazer compra para o natal e pasmemmmmmmmmmmmm não é que coube numa calça 40, um pouco apertada é fato, mas fechando e tudo e comprei um pretinho básico, ameiiiiiiiiiiiiiiii......

Parece futilidade para muitas pessoas, mas para quem já sofreu ao entrar e sair de lojas em que nada servia ou ficava legal e agora pode entrar em qualquer loja que pode sair de sacola cheia, sabe bem do que estou falando...

A única pena que senti foi de não ter podido comprar short ou algo tipo tomara-que-caia porque braços e pernas estão bem flácidos, mas tudo ao seu tempo...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

VOLTANDO A FOME DEPOIS DA GASTROPLASTIA

Assim que operei, na verdade mais ou menos uns 15 dias depois, me perguntava se não sentiria mais fome, porque até então até um copo com água era suficiente para me deixar mega cheia... Mas ao conversar com meu marido, minha irmã e uma amiga (ambos gastroplastizados), eles foram unânimes em afirmar que logo, logo sentiria fome.

De fato isso acontece mesmo, mas também não é aquela fome descabida. Se eu não me alimentar certinho, tipo de 3 em 3 horas ela aperta mais, mas como o estômago não suporta muita coisa não deu para extrapolar em nada... Porém, tenho percebido que a vontade de beliscar tem aparecido com mais frequência e isso sim me dá medo, porque mesmo quando estava a beira dos 100kg não batia o pratão, mas eu devorava tudo o dia todo e esse é um mau hábito que engorda pra caramba.

Hoje foi um desses dias, feriado, fiquei em casa e aí me peguei umas três vezes pegando algo para beliscar, daí me questionei: isso é fome mesmo? Tô ficando maluca, depois do sacrifício que é se submeter a uma cirurgia dessas?

Gente, é bem complicado. Não mudamos hábitos tão facilmente e olha que das três vezes que belisquei duas foram uva ( um foi um biscoito).. Conscientemente sei dos riscos de não controlar, a cirurgia não é o milagre, todos os dias tem alguma coisa na internet falando sobre quem voltou a engordar e definitivamente não quero isso pra minha vida..

Vou me observar melhor e se a vontade continuar vou voltar com a psicologa...  Mas peço a Deus muita força.

MAIS 1 KG ELIMINADO E TOTALIZANDO 26 OFF

É gente, cada dia é mais um dia de luta, com o passar do tempo a perda de peso diminui mesmo, mas tenho tentado não ficar aflita, pois sei que se não engordei tudo de uma vez só também não posso querer perder dessa  forma.

A consulta com a nutricionista foi adiada para a próxima semana e aí vamos ver o que vai mudar. O problema maior está sendo recomeçar as atividades físicas que parei a pouco mais de 1 mês. Tem o fator não gostar e o fator tempo, mas como as férias estão chegando estou me comprometendo a recomeçar e voltar ao ritmo, até porque agora a flacidez tá aparecendo mesmo....

Mas no geral, graças a Deus está tudo ok e continuo muito feliz, afinal de pouco em pouco estou chegando na meta, já são 26 kg off (agora estou pesando 70k).

Boa sorte e saúde a todos

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Gastroplastia e as mudanças no intestino

Gente! Desde ontem estou com dor por conta de gases, mas sentir dor mesmo. Agora porque? Bom, comi um cachorro quente com carne, salsicha e salada, batata palha e sem outros adicionais e isso fez um estrago. Nesse ponto e um pouco difícil saber o que vai cair bem ou não, so testando, como fiz com o cuscuz. O interessante também e que algumas vezes vc pode comer e não fazer mal. O certo e que como resultado tomei simeticon e buscopan.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

GASTROPLASTIA E DIABETES

O diabetes é uma doença crônica e muitas pessoas no mundo inteiro sofrem deste mal e, gente, posso mesmo dizer que é um mal....  


A gastroplastia, nesse sentido, surge como uma possível cura. Sim, uma possibilidade de acabar com o diabetes. Contudo depende de casa caso, pois o meu marido, por exemplo, fez a redução por conta do diabetes (1 ano e 11 meses) e não ficou curado..


Mas calma aí, não foi insucesso da cirurgia, pelo contrário, a cirurgia foi sucesso total visto a situação em que o pâncreas dele se encontrava, isso mesmo. 


Explicando melhor: ele já era diabético a mais de 20 anos, muito rebelde (só não comia açucar), tomava 5 doses de insulina por dia ( e mesmo assim ela ainda ficava na casa dos 350) e o que é pior, assintomático. Pois é, a endocrinologista sempre alertou para o risco. 


Quando iniciamos as pesquisas a respeito da cirurgia e conversamos com o médico (aliás o mesmo que me operou) ao sair os resultados dos exames ele deixou claro que as chances dele eram poucas de cura porque a função do pâncreas já estava em menos de 20%, já estava comprometendo os rins (perda de proteína) e também a visão. 


Bom, após os primeiros dias de cirurgia ele já não tomava mais insulina, somente o Janumet que consome até hoje, e fígado, rins, pâncreas e visão estagnados, ou seja, sem evolução para degeneração. A taxa de glicose fica em torno de 150 a 180 e no caso dele é bom.


Como ele fez a melhora do quadro e não cura, não pode descuidar, mas tem sido uma vitória... 
E o melhor já existem pesquisa sobre uma medicação que ajude a dar funcionalidade ao pâncreas. 


Vamos aguardar...




Vejam a matéria abaixo: http://www.fundacaounimed.org.br/site/interna.aspx?id=19&idt=3&cont=1274&ic=1


25/01/2008 
Cirurgia bariátrica para combater diabetes do tipo 2

Um nova pesquisa traz as evidências mais fortes até hoje de que a cirurgia para obesidade pode curar a diabetes. 

Um nova pesquisa traz as evidências mais fortes até hoje de que a cirurgia para obesidade pode curar a diabetes. De acordo com médicos australianos, pacientes que se submeteram a operações para reduzir o tamanho do estômago têm cinco vezes mais chances de se curar da diabetes em dois anos, se comparados às pessoas que combatem a doença com os tratamentos padrões.

- O estudo nos leva a repensar o tratamento de diabetes, que junto com a obesidade será o maior problema mundial de saúde nas próximas décadas - disse o autor, John Dixon, da Monash University Medical School, na Austrália. - A perda de peso melhora a resposta corporal à produção de insulina. A cirurgia é a melhor forma de atingir isso.

Comparação

A pesquisa envolveu 55 pacientes, com média de idade de 47 anos, obesos e com diabetes do tipo 2 há pelo menos dois anos. Testes sanguíneos mostraram remissão da diabetes em 22 dos 29 pacientes que haviam feito cirurgia. No grupo padrão, só quatro dos 26 pacientes atingiram a meta. Em dois anos, os pacientes da cirurgia perderam 21 kg, em média, enquanto os em terapias comuns perderam 1,4 kg. A maioria dos operados pararam de tomar drogas para controlar a diabetes e chegaram a resultados normais nos exames de sangue.

Alguns especialistas que leram o estudo disseram que novas pesquisas, mais amplas, são necessárias para ver por quanto tempo os resultados duram e quais pacientes se beneficiam mais. Além disso, é preciso comparar os riscos da cirurgia ao das terapias comuns e da exposição a diabetes.

- Pode fazer a cirurgia quem tem índice de massa corporal (IMC) maior que 35 - detalha Dixon.

Insulina e obesidade

O excesso de peso pode afetar a resposta normal do organismo à insulina. Mas Marcos Tambascia, presidente do departamento de diabetes da Sociedade Brasileira de Endocrinologia, conta que já se percebeu que os obesos quando fazem a cirurgia melhoram do diabetes mesmo antes de perder muito peso. A técnica, além de promover uma redução do tamanho do estômago, faz um desvio do caminho da digestão. Do estômago, o alimento vai direto para o íleo, sem passar pelo duodeno e pelo jejuno (partes do intestino delgado). Por chegar lá menos digerido, ele estimula a produção dos hormônios GLD1 e GIP, que levam o pâncreas a produzir insulina.

- Por isso, se começou a agora a propor essa cirurgia, só fazendo a mudança do intestino, para pacientes sem obesidade mórbida - conta Tambascia. - Mas nesse casos ainda é preciso investigar riscos.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

102 DIAS DE GASTROPLASTIA E 25KG OFF

É GENTE, O TEMPO CORRE MESMO E HOJE ME DEI CONTA DO QUANTO ALGUMAS DECISÕES MUDAM RADICALMENTE NOSSAS VIDAS.

NESSA MESMA DATA O ANO PASSADO HAVIA PASSADO POR UMA SITUAÇÃO QUE MUITOS GORDINHOS E EX-GORDINHOS CONHECEM BEM: ENTRAR NUMA LOJA E SAIR SEM NADA, NÃO PORQUE NÃO GOSTOU DE NADA, MAS SIMPLESMENTE POR NÃO SERVIR.

SEMPRE NESSE PERÍODO VAMOS COMPRAR AS ROUPAS PARA VESTIR NAS FESTAS DE FIM DE ANO E ESPECIALMENTE ANO PASSADO NÃO COMPREI ABSOLUTAMENTE NADA, PODE ACREDITAR, NADA MESMO... E FIQUEI ARRASADA.

HOJE, ENTREI EM UMA LOJA, PROVEI UMA CALÇA 42 E ACREDITEM FICOU PERFEITA, SEM APERTO QUALQUER E O MELHOR SEM O EXAGERO DE LYCRA.

POSSO DIZER QUE A DECISÃO DA GASTROPLASTIA TEM MUDADO MINHA VIDA EM MUITOS SENTIDOS, MAS QUE A MELHORA DA AUTO-ESTIMA TEM SIDO FUNDAMENTAL PARA MUITAS SITUAÇÕES...

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

TRATAMENTO ESTÉTICO DEPOIS DA GASTROPLASTIA

Acho que todo mundo deve se incomodar com peles saindo por todo lado né, principalmente as mulheres. No meu caso ainda não perdi todo o peso estabelecido na minha meta, até agora foram 24 kg e faltam mais 12 pelo menos (quero ficar com pelo menos 60kg), mas já sinto os efeitos da perda imediata, até porque durante muito tempo vivi no efeito sanfona, então a pele já não estava essa coca-cola toda..

Como sempre fui muito adepta de chocolate, coca-cola e muita fritura a celulite também é algo bem latente em mim, tenho em grau 3 (beeeeeeeeeeeeeeem maracujá) nas pernas...

Já havia pensado na ideia de buscar um tratamento e hoje passei numa clínica para me informar e cheguei a seguinte conclusão: preciso mesmo tomar cuidado antes de perder todo o peso.

Bom, na clínica fiz uma avaliação com a dermatologista e ela indicou o seguinte tratamento: 20 sessões de corrente russa associada a 10 sessões de Crio thermo..  Promete melhorar a aparência de maracujá e dar sustentação, fechei o pacote e vou começar as sessões na 2ª feira, serão 2 por semana. Chorei o preço e como já havia pesquisado vi que a oferta foi boa..

Vou bater as fotos para comparar o antes e o depois e vamos ver se surte efeito, pois segundo a médica quando as pessoas que se submetem a bariátrica associam academia (musculação) e tratamentos estéticos a chance de ter que realizar plásticas nas pernas e braços, por exemplo, diminuem bastante. Como pretendo fazer só peito e barriga daqui a 1 ano, vou tentar o estético.

ENGORDAR DEPOIS DA GASTROPLASTIA

Nossa! hoje estava buscando informações sobre o nosso comportamento alimentar depois de operado e buscando, buscando, achei uma comunidade no orkut que me deixou assustada. Sim, assustada mesmo, pois tem gente que por compulsão alimentar voltaram a engordar até 35kg tendo que reoperar. Imagina!

A cirurgia realmente não é milagre, temos que manter a dieta, a atividade física, enfim, tudo o que for possível para não voltar a engordar.

A comunidade é voltada para pessoas com mais de 5 anos de operada e o que pude perceber é que após 2 anos (+ ou - ) de operada a pessoa muitas vezes acredita que o problema está resolvido e aí libera tudo e o processo de engorda começa...

Tive o prazer de conhecer e conversar com algumas pessoas que já possuem mais de 5 anos de operadas e que tem o peso oscilando entre 2 a 3kg somente, o que com uma dieta mais equilibrada é fácil de perder.  Mas sei também que a cabeça influi muito mesmo.

Vale um click, tanto para aqueles que querem operar como para pessoas que se submeteram ao processo.
http://www.orkut.com/Community?cmm=16194372

Espero que nos sirva de exemplo

CHOCOLATE E GASTROPLASTIA

COMENTEI EM UM OUTRO POST O VÍCIO DO CHOCOLATE E É REALMENTE VÍCIO, SUPER COMPROVEI ISSO HOJE, POIS AO SAIR DO SERVIÇO PASSEI EM FRENTE À CACAU SHOW, NÃO ESTAVA COM FOME, POIS HAVIA ACABADO DE LANCHAR, MAS AO OLHAR A LOJA VEIO UMA VONTADE ENORME DE COMER UM BOMBOM.. NÃO RESISTI ENTREI NA LOJA E COMPREI UM DIET ((SÓ UM, O PERMITIDO PELA NUTRICIONISTA PARA CONSUMIR 1 VEZ POR SEMANA).

COMO ESTAVA SATISFEITA DO LANHE DEIXEI PARA A SOBREMESA DO JANTAR, E GENTE FOI UMA DELÍCIA COMER O CHOCOLATE, MAS TUDO TEM PREÇO ELE TEVE UM EFEITO COLATERAL INDESEJADO, A FAMIGERADA DOR DE BARRIGA, NADA FORTE DEMAIS, PORÉM INCÔMODA...

DEPOIS DA GASTROPLASTIA DEVEMOS SEMPRE LEMBRAR QUE ALIMENTOS GORDUROSOS PODEM CAUSAR DIARREIA QUASE IMEDIATA, ENTÃO VAI A DICA: MESMO SENDO DIET CHOCOLATE TEM GORDURA, O QUE TEM MENOS SÃO OS LIGHT.

UMA DICA DA NUTRICIONISTA QUE REALMENTE NÃO SEGUI HOJE É COMER O CHOCOLATE PELA MANHÃ JUNTO COM ALGUM PEDAÇO DE FRUTA PARA DIGERIR MELHOR.

SANDUÍCHE DE ASSADO DE PANELA LIGHT

Sabe aquela gostosa carne assada com molho ferrugem ou madeira, então hoje o meu almoço foi uma carne assada com molho madeira light e como sobrou e não gosto muito de comer o mesmo do almoço busco sempre inventar algo que reaproveite. Então vamos lá:

INGREDIENTES
2 fatias de pão de forma (preferi o integral)
1/2 xícara de carne assada desfiada
1 fatia de queijo branco (por causa do cálcio)
1  colher de sobremesa do molho da carne
1 colher de sobremesa de requeijão light (pode ser também maionese light ou cream chease)
2 rodelas de tomate
2 rodelas de pepino
1 rodela de pimentão
1 folha de alface (o americano é menos indigesto)

PREPARO
Misture a carne com o requeijão e coloque sobre uma fatia de pão, acrescente os demais ingredientes e cubra com a outra fatia. Bom apetite

Obs: parta o sanduíche no formato de triângulo pois dificilmente operados recentes conseguem comer todo, então divida com alguém ou enrole em papel filme guarde na geladeira....
Outra dica é fazer metade da porção dividindo a fatia de pão de forma em dois pedaços.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

SALADA SUBWAY

Existem dias que realmente abro a panela e a comida não agrada, talvez por enjoar o tempero e hoje foi um desses dias, mas é necessário buscar alternativas saudáveis para não comprometer a dieta e, principalmente a perda de peso e como opção de hoje achei a salada da rede SUBWAY.

Gente, é ótima! Assim como os sanduíches que também são incríveis a salada também pode ser montada ao seu gosto. Minha opção incluiu o recheio (porque você escolhe o que colocaria no pão) de peito de peru e presunto, queijo suíço, alface, tomate, rúcula, azeitona, pepino e pimentão. (exclui o picles por causa do estômago e a cebola não curto crua), com um pouco de azeite, orégano, vinagre e apenas um fio de molho parmesão.. Comi super bem, sobrou e sem efeitos colaterais.

Como não inclui carboidrato no jantar, deixei para a ceia tomando um leite com 1 pacotinho de club social.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

DOCES DEPOIS DA GASTROPLASTIA

 Muita gente sofre com dumping após a gastroplastia, eu particularmente só tive uma crise leve, mas mesmo quem não tem o problema de maneira constante deve evitar doces e outras guloseimas em excesso para não comprometer a perda de peso, principalmente nos primeiros 6 meses. Bom, eu sou doida por doce e amoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo sorvetes, mas como sei da necessidade de me controlar, além de rezar bastante tenho buscado outras opções.


Uma delícia e refrescante são os picolés e sorvete da nestlé das linhas La Fruta e Molico da Nestlé, ambas sem adição de açúcares.  No caso do molico tem os sabores: frutas vermelhas e maracujá e nem parecem diets. 
A opção perfeita para gastroplastizados é a do sorvete de iogurte (frozem yogo) da molico por não conter gordura evitando assim aqueles desconfortos abdominais e diarreias. 



A única ressalva para os picolés da linha La Fruta é para o sabor coco, pois este é o único que contém açúcar, no mais é saborear.

domingo, 20 de novembro de 2011

NÃO NASCI PARA A MODA PLUS SIZE

Gente, só quem é gordinho sabe a dificuldade de encontrar roupa, o transtorno que é compra um simples maiô ou uma calça jeans.. Entra-se em lojas e sai-se de lojas cada vez com uma frustração maior, primeiro por não achar nada que caiba ou quando cabe não ficar legal e depois pela cara de NÃO TEMOS O SEU NÚMERO que muitas vendedoras fazem..

O mercado, graças a Deus, tem ampliado o leque nesse sentido e muita coisa legal já começa a está disponível para os GG (gordinhos gostosos como costumava me titular). Bom, felizmente a gastroplastia tem me permitido voltar a usar algumas coisas que nem de longe buscava mais: Maiô, cinto e blusa sem manga, tudo isso depois de 23 OFF...          

 Antes da cirurgia, muitas vezes deixei de ir a determinados eventos porque já imaginava o que ia vestir e o trabalho só de procurar e depois vinha a frustração de vestir algo e não ficar legal.

Na verdade vestir não era bem o termo, mas sim cobrir, porque não sentia o menor prazer em me arrumar por mais que buscasse melhores alternativas na moda plus size.

Ainda tenho quilos a perder, estou com braços, pernas e abdômen ficando flácidos e minha perna ainda parece maracujá de gaveta de tanta celulite, mas estou feliz em poder vestir outras coisas que não sejam camisões..
Definitivamente, não nasci para ser plus size.....

sábado, 19 de novembro de 2011

DELÍCIAS LIGHTS

PESQUISANDO POR AÍ ACHEI UMA BLOGUEIRA (http://micheleborboleta2011.blogspot.com/p/receitas-gastrodieta.html) QUE TEM UMA DICAS INCRÍVEIS DE RECEITAS E AÍ POSTO ALGUMAS (JÁ TESTADAS)


Couve- flor gratinada 


1 porção de 90g equivale a 4 colheres de sopa, rende 10 porções.
INGREDIENTES
2 xc de buquês de couve-flor
1 colher de salsinha picada
100 g de peito de peru picado
150g de cottage
1 colher de sopa de parmesão ralado
1 xc de chá de leite desnatado
3 colheres de sopa de maionese light


Preparo
Cozinhe a couve-flor na água com sal.  Em um refratário misture a maionese, o peito de peru, leite, cottage e a salsa. Escorra a couve-flor, coloque em um refratário cubra com o creme e salpique o parmesão. Leve ao forno por 10 minutos. 


LASANHA VEGETARIANA




RECEITA PARA 4 PESSOAS
Ingredientes

1 berinjela cortada em rodelas
3 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho esmagados
1 cebola roxa cortadas em rodelas
3 pimentões (vermelho, verde e amarelo) em cubos
225g de mistura de cogumelos
1 abobrinha
2 tomates picados
300 g de purê de tomate
2 colheres de manjericão picado
8 folhas de lasanha verde não pré cozidas

Molho de queijo

2 colheres de sopa de margarina
1 colher de farinha de trigo
150g de caldo de legume
300ml de leite desnatado
75g de queijo cheddar ralado ( no caso eu substitui por minas)
1 colher de chá de mostarda
1 colher de sopa de manjericão (pode ser só cebola e coentro)
1 ovo batido

Preparo
Coloque as rodelas de berinjela num passador, polvilhe sal e reserve durante 20 minutos. Enxague com água fria, escorra e reserve.
Aqueça o azeite numa frigideira e salteie o alho e a cebola durante 1 minuto. Junte os pimentões, os cogumelos, a abobrinha e cozinhe mexendo sempre por 4 minutos. Adicione o tomate, o molho de tomate, o manjerição e tempere com sal e pimenta a gosto.
Derreta a manteiga numa panela, junte a farinha e cozinhe durante 1 minuto. Adicione o caldo e o leite, mexa bem e depois adicione metade do queijo e da mostarda. deixe ferver. Junte o manjericão e retire do fogo e acrescente o ovo. Coloque metade da lasanha numa assadeira, coloque a mistura de legumes, metade da berinjela e um pouco de molho. Repita a camada polvilhe com o queijo restante e leve ao forno por 40 minutos.

Sugestão de Cardápio

Após a cirurgia se tem uma coisa que poderia reclamar é da época dos copinhos, não por sentir fome, porque não sentia mesmo, mas por ter que tomar de 15 em 15 minutos, isso achei um saco... Passada essa fase, vem aquela de inventar caldos e sopas e afins...   Mas para falar a verdade minha dificuldade tem sido nesta nova fase onde tudo começa a ser permitido.

Vejam só, operamos o estômago e não a cabeça, então quando não estou em casa, por exemplo,  as vezes dá vontade de meter o pé na jaca e comer bobagem..  Mas tenho duas sugestões de cardápio que uma vez ou outra dá para fazer sem culpa.
A primeira é tomar um sorvete de iogurte (frozem), gente pode inserir fruta, fica uma delícia e é leve, sem contar que como não é gorduroso reduz o risco de ir parar no banheiro.
A outra sugestão é o crepe, como a massa é leve não me senti empasinada, o que comi foi de queijo... Muito bom.

CAMPANHA OBESIDADE SEM MARCAS

Uma grande conquista esse ano para os candidatos à cirurgia bariátrica ou metabólica foi a inclusão do procedimento por videolaparoscopia no rol de procedimentos  e eventos de saúde determinados pela ANS.

Traduzindo, significa que a partir de 01 de janeiro de 2012 será um direito dos pacientes que necessitam operar fazerem o procedimento por vídeo, diminuindo os riscos de infecções e morte, além de gerar uma recuperação muito mais rápida, pois são apenas seis furinhos, ao invés de um corte enorme no abdômen, não necessita dreno   e em 15 dias você já pode voltar às suas atividades (trabalho, dirigir, etc.....)

Minha cirurgia foi por vídeo e as marcas já estão sumindo..... As que ainda estão bem visíveis são essas aí abaixo.







MITOS E VERDADES SOBRE A GASTROPLASTIA

Em tudo na vida há mitos e verdades e com a cirurgia bariátrica também é assim. Então vamos ao que é verdadeiro ou falso de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica


Em um ano de pós-operatório, o paciente normalmente engorda.
Mito.
Na maioria dos casos, o ganho de peso ocorre quando o paciente não assume hábitos saudáveis, como a adoção de dieta menos calórica e mais nutritiva e a prática de exercícios físicos regulares.

Perde-se mais peso nos primeiros seis meses.
Verdade.
A perda mais significativa de peso ocorre nos primeiros seis meses. Daí a importância de o paciente seguir com disciplina as recomendações médicas nessa primeira etapa do pós-operatório.

Quem faz a cirurgia bariátrica fica propenso a alcoolismo, uso de drogas ou comportamento compulsivo para compras.
Mito.
Não existe nenhuma evidência científica de que, no pós-operatório, o paciente comece a ter tendência ao alcoolismo ou ao uso de drogas. Quanto à compulsão por compras, pode-se evitar um comportamento desse tipo por meio de acompanhamento psicológico. A evolução histórica das cirurgias mostra que o paciente, ao perder peso, resgata a autoestima e por isso passa a ter prazer em adquirir roupas e outros produtos de uso pessoal.

A mulher pode engravidar no pós-operatório.Verdade.
A paciente é liberada para engravidar sem riscos após 15 meses de pós-operatório. Durante esse período, recomenda-se a anticoncepção. No entanto, os anticoncepcionais orais (pílulas) devem ser evitados.

Sempre é possível fazer a cirurgia videolaparoscópica.Verdade.
Somente em situações especiais não é possível realizar esse tipo de cirurgia. É o caso, por exemplo, de pessoas submetidas a cirurgias abdominais prévias.

A depressão é uma consequência comum para quem faz a cirurgia.Mito.
Não existe uma tendência, não é uma regra.. Se o paciente ficar deprimido, isso pode ocorrer devido a fatores desconhecidos, que devem ser investigados por psicólogo ou psiquiatra. Isto também vai depender muito do acompanhamento pré-operatório com o psicólogo.

Há tendência à anemia no pós-operatório.Verdade.
De fato isso ocorre. Entre os pacientes, as mulheres têm maior tendência à anemia, por causa da menstruação, perda de ferro e pouca presença de carne vermelha na dieta. Essa situação pode ser minimizada com a ingestão de alimentos ricos em ferro, ou, se necessário, com a utilização de suplementos vitamínicos.

Depois da operação, é comum a intolerância a leite. Mito.
Normalmente não há reações adversas ao consumo de leite e derivados. Esses alimentos são, inclusive, recomendados, sobretudo para as mulheres, como fontes de cálcio.

O apoio da família e à família é indispensável. Verdade.
Deve-se prestar toda a assistência e orientação à família do paciente, oferecendo o máximo de informações solicitadas e, quando necessário, também consulta psicológica. Os novos hábitos a serem adotados pelo paciente devem ser compartilhados e estimulados por todos que convivem com ele.

A cirurgia causa problemas renais. Mito.
Não foi observada tendência a problemas renais.

O paciente sente muitas dores no primeiro mês do pós-operatório. Mito.
Normalmente, as dores se manifestam somente no primeiro dia do pós-operatório. Isso acontece porque o abdômen precisa ser inflado com gás carbônico na cirurgia por videolaparoscopia, para possibilitar a melhor manipulação dos órgãos internos. 

O paciente que sofre de gastrite pode ser operado. Verdade.
Não há restrição cirúrgica para paciente com gastrite.

Depois da cirurgia bariátrica, o paciente deve fazer cirurgia plástica corretiva. Mito.
Nem sempre é necessário fazer cirurgia plástica após o procedimento bariátrico. Cada caso deve ser avaliado criteriosamente pela equipe multidisciplinar responsável pelo tratamento.

Durante a videolaparoscopia, há situações em que é preciso converter a cirurgia em procedimento aberto. Verdade.
Algumas situações exigem que o cirurgião converta a videolaparoscopia em procedimento aberto. Essa decisão é baseada em critérios de segurança e só pode ser tomada durante o ato operatório.

BARIÁTRICA: porque fazer e quem pode?

Nesses três meses de gastroplastizada tenho escutado muita coisa, principalmente, a frase: Aí, só dieta não dava jeito? Gente! Vamos combinar! Se desse jeito eu jamais teria me submetido a um procedimento que muda a vida da gente pra sempre, aliás, é uma decisão seríssima.

Então vamos a exposição de alguns motivos:  obviamente a perda de peso, mas melhora ou cura de doenças associadas à obesidade, como diabetes, pressão arterial elevada, doenças cardiovasculares, doenças ósseas (meu caso), problemas no figado (meu caso) e por aí vai... além da melhora da qualidade de vida.

Há uma série de riscos envolvidos sim, como em qualquer outra cirurgia, mas devem ser medidos os prós e os contras, por isso a minha principal recomendação é: busquem um profissional sério e de confiança, e tirem TODAAAAAAAAAAAAAAAS AS DÚVIDAS possíveis.

Como não é só por uns quilinhos a mais que se faz a bariátrica, de acordo com a SBCBM quem pode fazer deve está inserido nas descrições abaixo:

Conforme os preceitos médicos, a indicação cirúrgica deve ser decidida sob a análise de três critérios: IMC, idade e tempo da doença.
Em relação ao índice de massa corpórea (IMC)
•  IMC acima de 40 kg/m² , independentemente da presença de comorbidades.
•  IMC entre 35 e 40 kg/m² na presença de comorbidades.
• IMC entre 30 e 35 kg/m² na presença de comorbidades que tenham obrigatoriamente a classificação “grave” por um médico especialista na respectiva área da doença. É também obrigatória a constatação de “intratabilidade clínica da obesidade” por um endocrinologista.

Em relação à idade
•  Abaixo de 16 anos: exceto em caso de síndrome genética, quando a indicação é unânime, o Consenso Bariátrico recomenda que, nessa faixa etária, os riscos sejam avaliados por cirurgião e equipe multidisciplinar.  A operação deve ser consentida pela família ou responsável legal e estes devem acompanhar o paciente no período de recuperação.
•  Entre 16 e 18 anos: sempre que houver indicação e consenso entre a família ou o responsável pelo paciente e a equipe multidisciplinar.
•  Entre 18 e 65 anos: sem restrições quanto à idade.
•  Acima de 65 anos: avaliação individual pela equipe multidisciplinar, considerando risco cirúrgico, presença de comorbidades, expectativa de vida e benefícios do emagrecimento.

Em relação ao tempo da doença

Apresentar IMC e comorbidades em faixa de risco há pelo menos dois anos e ter realizado tratamentos convencionais prévios. Além disso, ter tido insucesso ou recidiva do peso, verificados por meio de dados colhidos do histórico clínico do paciente.


O que é gastroplastia e as técnicas cirúrgicas

Para esclarecer algumas dúvidas sobre a cirurgia. No meu caso a técnica cirúrgica foi o By Pass com Y de Roux.


O QUE É A GASTROPLASTIA? 
A cirurgia bariátrica e metabólica – também conhecida como cirurgia da obesidade, ou, popularmente, redução de estômago – reúne técnicas com respaldo científico destinadas ao tratamento da obesidade e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele. O conceito metabólico foi incorporado há cerca de seis anos pela importância que a cirurgia adquiriu no tratamento de doenças causadas, agravadas ou cujo tratamento/controle é dificultado pelo excesso de peso ou facilitado pela perda de peso – como o diabetes e a hipertensão –, também chamadas de comorbidades.


TÉCNICAS PERMITIDAS NO BRASIL





São aprovadas no Brasil quatro modalidades diferentes de cirurgia bariátrica e metabólica (além do balão intragástrico, que não é considerado cirúrgico):
 Bypass gástrico (gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”)

Estudado desde a década de 60, o bypass gástrico é a técnica bariátrica mais praticada no Brasil, correspondendo a 75% das cirurgias realizadas, devido a sua segurança e, principalmente, sua eficácia. O paciente submetido à cirurgia perde de 40% a 45% do peso inicial.
Nesse procedimento misto, é feito o grampeamento de parte do estômago, que reduz o espaço para o alimento, e um desvio do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. Essa somatória entre menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade é o que leva ao emagrecimento, além de controlar o diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial.
Uma curiosidade: a costura do intestino que foi desviado fica com formato parecido com a letra Y, daí a origem do nome. Roux é o sobrenome do cirurgião que criou a técnica.
• Banda gástrica ajustável

Criada em 1984 e trazida ao Brasil em 1996, a banda gástrica ajustável representa 5% dos procedimentos realizados no País. Apesar de não promover mudanças na produção de hormônios como o bypass, essa técnica é bastante segura e eficaz na redução de peso (20% a 30% do peso inicial), o que também ajuda no tratamento do diabetes. Instala-se anel de silicone inflável ajustável ao redor do estômago, que aperta mais ou menos o órgão, tornando possível controlar o esvaziamento do estômago.
• Gastrectomia vertical 

Nesse procedimento, o estômago é transformado em um tubo, com capacidade de 80 a 100 mililitros (ml). Essa intervenção provoca boa perda de peso, comparável à do bypass gástrico e maior que a proporcionada pela banda gástrica ajustável.  É um procedimento relativamente novo, praticado desde o início dos anos 2000. Tem boa eficácia sobre o controle da hipertensão e de doenças dos lípides (colesterol e triglicérides).
 Duodenal Switch

É a associação entre gastrectomia vertical e desvio intestinal. Nessa cirurgia, 85% do estômago são retirados, porém a anatomia básica do órgão e sua fisiologia de esvaziamento são mantidas. O desvio intestinal reduz a absorção dos nutrientes, levando ao emagrecimento. Criada em 1978, a técnica corresponde a 5% dos procedimentos e leva à perda de 40% a 50% do peso inicial.

 Terapia auxiliar - Balão intragástrico
Reconhecido como terapia auxiliar para preparo pré-operatório, trata-se de um procedimento não cirúrgico, realizado por endoscopia para o implante de prótese de silicone, visando diminuir a capacidade gástrica e provocar saciedade. O balão é preenchido com 500 ml do líquido azul de metileno, que, em caso de vazamento ou rompimento, será expelido na cor azul pela urina.
O paciente fica com o balão por um período médio de seis meses. É indicado para pacientes com sobrepeso ou no pré-operatório de pacientes com superobesidade (IMC acima de 50 kg/m2).

TIPOS DE CIRURGIA
As cirurgias diferenciam-se pelo mecanismo de funcionamento. Existem três procedimentos básicos da cirurgia bariátrica e metabólica, que podem ser feitos por abordagem aberta ou por videolaparoscopia (menos invasiva e mais confortável ao paciente):
• restritivos – que diminuem a quantidade de alimentos que o estômago é capaz de comportar.
• disabsortivos – que reduzem a capacidade de absorção do intestino.
• técnicas mistas – com pequeno grau de restrição e desvio curto do intestino com discreta má absorção de alimentos.

Referências: http://www.sbcb.org.br/cbariatrica.asp?menu=3


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...