domingo, 17 de setembro de 2017

Na tentativa de voltar ao foco

E aí pessoas ??? 
Na semana passada falei sobre o aumento de peso e o quanto isso tem me incomodado, além do medo que é voltar a engordar. 
Essa semana eu comecei a observar mais o que como e cortei o pão que tava no exagero e busquei fazer uma redução de carboidratos de maneira geral . 
Como resultado deu uma melhora na sensação absurda de inchaço que eu estava e uma regularizada boa no intestino. 
Pesei hoje e não perdi nada , porem também não ganhei . Essa não perda estou atribuindo ao fato de ter ficado no período menstrual onde retenho muito líquido e as vezes até aumento 2 kg por conta. 
Vou buscar seguir em frente essa semana e vê no domingo que vem como vai ser o resultado. 
O lado bom, é que antes se eu me propunha a começar uma dieta , um programa para perder peso eu pirava com isso , é se chegasse o fim da semana e não tivesse zilhões de peso perdido já ia desistindo, agora pelo menos entendo que mesmo que venha lento o que importa é que haverá resultados 

domingo, 10 de setembro de 2017

6 anos , e como estou ?

Eu operei com 96 kg , imc de 38,5 cheia de comorbidades que não podiam mais esperar chegar ao imc 40. 


Em 1 ano cheguei ao peso de 54kg com imc de 21,6, sem um fígado detonado , sem dores no corpo , sem diabetes , é muito muito feliz em me ver no espelho 


Mantive o peso , controlei bem as taxas , mas no último ano tive um aumento de peso chegando hoje aos 62kg , imc 24,8 e muito incomodada com o que vejo. 


O porque do aumento ? 
Vamos lá: 
1- deixei de fazer exercício 
2-/ voltei a descontar na comida meus problemas 
3- deixei de manter o controle de peso rigidamente 
4- disfunção nos hormônios 
5- aumento do consumo de carboidratos 

E o que mudou na minha visão de antes para agora foi que até operar eu simplesmente ia engordando e nem me dava conta dos aumentos até que chorasse porque não cabia nenhuma roupa
Hoje tenho consciência de que aumentei , consciência de que parte desse peso está dentro do percentual aceitável, consciência de que não posso deixar de ter uma certa disciplina, mas principalmente apesar de não está satisfeita estou buscando traçar metas pequenas pra não gerar maior ansiedade em resultado porque essa sim é minha maior inimiga 
Trabalhar com alimentação , mesmo que saudável também influenciou , fazer testes , provar , cursos , tudo isso são fatores só que hoje essa consciência de que preciso policiar é o que tem ajudado a freiar a ansiedade 
Não coloquei uma meta de tempo para perder o que ganhei , mas coloquei essa semana a meta de ir fazendo os cortes necessários na alimentação e regularizar os horários . Vamos vê como fica no final da semana e venho contar aqui 
Para quem operou , fiquem sempre em alerta 
Para quem vai operar , não creia no milagre , mas aposte mesmo na bariátrica como uma excelente ferramenta pra você 






segunda-feira, 24 de julho de 2017

E quando você se dá conta que a compulsão não passa

Antes de operar o ideal é fazermos acompanhamento psicológico , psiquiátrico , enfim , todas as análises possíveis e cabíveis para que após a cirurgia não nos afundemos no mesmo erro. 
Mas aí eis a questão , será que funciona de verdade ? Será que a gente opera o estômago e de quebra sai do centro cirúrgico com a cabeça magra ? 
Infelizmente não é bem assim, primeiro porque muitas vezes as pesosss vão aos respectivos profissionais apenas para pegar um bendito laudo e segundo porque após a bariátrica poucos voltam nestas mesmos profissionais. 
Os distribuídos após a bariátrica podem ser desde não se ver magra ( disfunção de imagem ) até mesmo o voltar a comer compulsivamente sem se dar a menor conta. 
No início , acho que até quase 2 anos após a bariátrica eu não me via magra o suficiente mas estava , voltei com a psicóloga , continuei nos grupos sobre bariátrica  e passei a ver que estava de fato no peso ideal e não precisava mais me pesar em 2 balanças umas quinhentas vezes no dia e muito menos contar calorias até do vento . 
Mantive o peso estável durante 5 anos , sem alternar nada significativo , porem de uns meses para cá , mas precisamente há uns 6 meses por diversos problemas tenho descontado na comida é um pânico de não conseguir  controlar a compulsão é enorme. 
E aí vem a questão ,como consegue comer demais se tem o bucho reduzido ? 
Mas gente pior que da , porque a questão não é comer muito de uma única vez , mas comer pequenas porções erradas ao longo do dia . 
A diferença que tenho hoje é a de me perceber entrando nesse ciclo , algo que não conseguia ver tanto que cheguei na obesidade. 
Nestes últimos meses lá se foram 6 kg a mais e apesar de está dentro do limite isso incomoda demais . 
Então fica o alerta , se observe , não pense na bariátrica como milagre e entenda que a compulsão e algo controlado mas que precisa de atenção 

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Páscoa chegando e agora ???

Oi povo !!!! 
Gente se já estava difícil entrar no eixo nas festas de fim de ano , período de páscoa é mais complicado ainda. Mas aí pra quem acompanha o blog pode perguntar : Livia tu não trabalha com culinária saudável , então pode comer né ? 
Só que gente do céu , o buraco é um bocado mais lá embaixo . Apesar de trabalhar com gastronomia saudável , não são produtos isentos de calorias mesmo os que são low carbo , e tenho que provar , testar receitas , ajustar sabores, enfim , acabo saindo do percentual que posso consumir , além do fato de que não estou conseguindo voltar ao foco. 
Resumo da ópera? Tô cravado em 62kg , ou seja no limite do limite com 5 kg pra perder nem que seja na marra. 
O que estou tentando no momento é pelo menos não aumentar e daí voltar pro eixo com exercícios . 
Simbora vê no que vai dar porque em quase 6 anos de gastroplastia nunca tinha tido tanta dificuldade em baixar peso 
Medo define viu , mas vamos lá 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Quando você liga o FODA-SE?


Desde que eu me entendo por gente escuto algumas frases muito clássicas, do tipo, não posso comer isso porque estou de dieta , ou não vou comer tal coisa porque engorda, dai eu me pergunto, tá todo mundo no mesmo barco? Será que nunca vamos está satisfeitos com o corpo que temos? Da pra ligar o foda-se para as milhares de dietas , para os padrões e ser feliz? 

De quando eu reduzi meu buchinho  há quase 6 anos pra cá muita coisa mudou no meu modo de viver e na minha relação com a comida, tive fase neurótica de pesar 3 vezes ao dia em duas balanças, de contar calorias até do vento, de me ver gorda mesmo estando no peso certo , de me ver magra ainda estando gorda,  de me sentir bem mas acreditar que da pra melhorar, enfim, muitas fases para muitos estados de espírito, porém algo se tornou estático que é a certeza de que a minha felicidade não está nos números que apontam a minha balança, mas no conjunto da obra. 
Lógico que não dá pra ligar o foda-se para a saúde, precisamos sim manter um peso que nos  possibilite está dentro dos padrões aceitáveis para não correr risco de desenvolver diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, uma hérnia de disco, que nos permita realizar nossas atividades diárias sem que fiquemos para morrer de dor ou de cansaço, porém não significa sermos escravos das milhões de dietas que surgem todos os dias. 
Eu tenho buscado melhorar minha alimentação, desde outubro tenho tentado seguir um estilo de vida com menos inserção de carboidratos, tenho buscado melhorar minha composição corporal com exercícios físicos, mas não tenho a neura de antes. 
Me permito comer o que quero me policiando para não passar da conta ou se passar na próxima refeição já recomeça sem precisar esperar a segunda- feira. 
Os padrões estão aí , as dietas também, mas busco o equilíbrio entre o que eu quero e o que é possível para o meu corpo e para minha saúde. 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...